Confraria do Athlético

Bola em jogo, Brasil

E-mail Imprimir PDF

Futebol brasileiro tem previsão de retorno para agosto, VAR fora do estádio e mais. Veja as medidas estudadas por CBF e clubes. FOX Sports - A exemplo da Bundesliga, o futebol brasileiro estuda maneiras de retomar à normalidade após o período do pico da pandemia do covid-19. Vagner Martins, repórter dos canais FOX Sports, obteve informações exclusivas a respeito do novo protocolo de segurança da CBF para o retorno do futebol e sobre a reunião realizada entre setores da entidade, como doping, serviços médicos e segurança. O repórter do FOX Sports teve acesso aos detalhes de serviços como VAR e exame antidoping, além de como será a organização por parte dos atletas para evitar a contaminação e propagação do vírus. Na próxima segunda-feira (18 de maio) haverá uma nova reunião entre clubes e CBF para darem novos passos rumo ao retorno do futebol no Brasil.

As informações ainda são preliminares, mas a ideia da CBF e dos clubes é que o futebol retorne no final de julho e início do mês de agosto. A data é apenas uma previsão, uma vez que a CBF aguardará a autorização do Ministério da Saúde e de demais órgãos de segurança do País. Os portões seguiriam fechados, com uma equipe entrando antes da outra. No intervalo, a ordem de retorno dos times ao campo se inverteria. Todos os atletas passariam por testes 48 horas antes das partidas para evitar o descontrole de contaminação do vírus. Sobre as pessoas envolvidas na partida de futebol, todas passarão por testes de temperatura, em uma espécie de serviço de triagem, com o mesmo intuito dos atletas. Com relação a arbitragem, as escalas serão regionais. Isso evitará viagens de longas distâncias.

O árbitro de vídeo não ficará no estádio. O serviço será realizado em escritórios fora dos estádios.O acesso para a imprensa será reduzido ao extremo, com apenas funções básicas de transmissões tendo acesso ao local. No caso dos atletas, as regras são ainda mais rígidas. Os jogadores serão orientados a não se abraçarem após os gols e também não poderão tomar banhos nos vestiários, indo para casa imediatamente após a partida, levando as roupas usadas nos jogos para serem lavadas em casa.Durante live em conta oficial do Instagram, Jorge Pagura, coordenador do protocolo nacional da CBF, falou sobre algumas normas que devem ser tomadas quando o futebol for retomado no País. "O barulho do silêncio é a nova tônica que a gente verá no futebol. O abraço, a comemoração, isso não vai existir. No plano tem isso (não cuspir), mas não tem multa. Vão ter opções, totens caso seja preciso assoar o nariz. Álcool gel para esterelizar a mão", disse o dirigente.

Última atualização ( Sáb, 16 de Maio de 2020 20:48 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)