Confraria do Athlético

Athletico aponta Lucas Halter como o grande destaque do segundo semestre, no retorno ao “magic moment”

E-mail Imprimir PDF
Ao mesmo tempo em que o time de guerra do treinador Tiago Nunes aquece as turbinas no CAT do Caju a comunidade rubro-negra sonha em reviver os melhores resultados obtidos na primeira metade do ano, como realça matéria do site oficial. O Furacão aposta muitas fichas no defensor Lucas Halter: revelado nas Categorias de Formação do Athletico Paranaense e com apenas 19 anos de idade, o zagueiro Lucas Halter é o caçula do atual elenco principal rubro-negro. Porém, a pouca idade não foi empecilho para que o jogador atuasse como gente grande neste primeiro semestre de 2019, segue o relato veiculado pela comunicação do clube.

Arremate

No início do ano, Halter participou da campanha do Furacão na Copa São Paulo de Futebol Júnior. No retorno a Curitiba, integrou a equipe de Aspirantes e foi peça fundamental na conquista do título do Campeonato Paranaense, logo na primeira competição como profissional. “Este primeiro semestre foi muito gratificante para mim. Pude me consolidar no Campeonato Paranaense, fazendo bons jogos. Depois, o Tiago Nunes acreditou em mim, colocou-me para jogar e as coisas foram caminhando bem”, disse o zagueiro, que está no Clube desde outubro de 2015.Lucas Halter comemora golaço contra o Operário. Foto: Miguel Locatelli/Site Oficial Logo nas primeiras experiências na equipe principal, Lucas Halter encarou desafios contra equipes como Corinthians, Flamengo, Palmeiras e Fluminense, todos pelo Brasileirão, e o Fortaleza, pela Copa do Brasil. “Não imaginava jogar esses jogos grandes tão rápido, mas trabalhei para chegar até aqui”, contou.Nascido em 2000, o zagueiro revela as brincadeiras do elenco por ser o caçula. “O mais novo sempre tem que fazer tudo. Mas é uma brincadeira legal. O grupo me acolheu bem e isso me ajuda a crescer”, destacou.
Em menos de seis meses, Halter disputou 16 partidas e marcou dois gols. “Tem sido um bom começo, mas na minha cabeça coloco que tenho que melhorar a cada dia. Tenho muita coisa para evoluir. Preciso seguir trabalhando para estar no melhor nível, para chegarmos fortes no Brasileiro, na Libertadores e na Copa do Brasil”, afirmou. Antes de fazer as primeiras partidas como jogador profissional, o zagueiro athleticano foi chamado 16 vezes para Seleções de Base do Brasil, acumulando os títulos do Sul-Americano Sub-17 e da Brics Cup Sub-17, além de um terceiro lugar no Mundial Sub-17. “A Seleção, por ter campeonatos internacionais, ajuda a adquirir um pouco mais de experiência e a ser maduro mais novo. E tudo que absorvi nessas convocações tentei aproveitar para evoluir aqui no Clube como jogador e pessoa”, concluiu Lucas Halter.
Última atualização ( Sáb, 22 de Junho de 2019 14:22 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)